segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Não sei lidar com as perdas. Mesmo que sejam perdas de pessoas com quem há muito não contacto, pela simples razão dos nossos caminhos terem seguido direcções diferentes e de não termos tentado encontrar-mo-nos num meio termo nesse entretanto.
Não sei aceitar que a vida termine mesmo antes de ter realmente começado. Morrer sem ter vivido mais de 19 anos é demasiado doloroso de entender, é demasiado injusto e o coração fica apertado perante tal impotência. É a única coisa que consigo dizer, não é justo. Gosto de pensar que não vais triste, que sorris por e para todos aqueles que tentaram lutar por ti, tal como tu lutaste com uma força admirável e inigualável. Espero que possas ter provado um pouco do amor, um pouco da vida, por pouco tempo que tenhas tido, espero que tenhas sido feliz. Não é uma despedida, é um até já.


M

1 comentário:

  1. Acredites ou não, sei bem do que falas. Sei exageradamente bem do que falas. A injustiça é o pensamento que mais nos inunda e a revolta a emoção que mais nos habita. Será, certamente, "até um dia".

    L.

    ResponderEliminar