quinta-feira, 27 de maio de 2010

Como começar?

Já há algum tempo que andava curiosa para ver como seria ter um blogue, por isso aqui estou. Aqui deixo, para começar, um poema da minha autoria.

"Escrevo-te"

Escrevo-te...

Nas linhas de um caderno

Gasto pelo tempo.

Escrevo-te...

A cada ponteiro que não pára

Em direcção ao futuro.

Escrevo-te...

A cada palavra,

A cada segundo,

Em todo o meu silêncio

E todo o meu furor.

Escrevo-te...

Porque não sei escrever sem ti.

Aqui e ali,

Estás na ponta do meu lápis,

Neste carvão que te diz...

Diz-te ausente,

Tão presente,

Falando ao meu ouvido

Sem mais ninguém te ouvir.

Hoje,

Escrevo-te.

Amanhã,

Escrever-te-ei.

Ontem,

Escrevi-te,

Descrevi-te,

E posso voltar a tentar.

Porque ontem

Cometi um erro,

Tentei pôr-te no papel...

Agora corrijo-me

E volto a pôr-te aqui,

Sabendo que não permaneces...

Neste papel

Só te escrevo,

E posso sempre voltar a escrever-te...

Mas tu,

No teu corpo e alma,

És muito mais que este

Pedaço de nada.

E voas para longe

Desta minha mão,

Foges-me

E fico feliz...

Isto não és tu,

É para ti,

No entanto não és tu,

É apenas o meu pensamento de ti...


M