domingo, 28 de novembro de 2010

Porque é mais fácil fechar os olhos...


       Páras, por um instante, não pensas, não sentes o que te rodeia, esqueces e continuas o teu caminho. Porque é mais fácil fechar os olhos e fingir que não se passa nada. Porque ignorar é mais fácil que enfrentar os medos, os obstáculos, as emoções que te sejam apresentadas. Porque ser frio evita que te entregues a alguém, evita que te conheçam e que te magoem, evita que ames com todas as tuas forças e dês tudo o que tens e que te deitem fora.
       É, de facto, mais fácil fechar os olhos e fingir que não se passa nada. Mas tu, Homem, embora tenhas imenso medo, não consegues ser assim, e acabas por cair sob os joelhos e acabas por te aperceber que não queres estar só, que sem algo ou alguém que te preencha, há tanta coisa que não faz sentido. E esqueces o medo, e corres e gritas e fazes o que for preciso até encontrares por quem valha a pena viver. Acabas, inevitavelmente, por cair algumas vezes, quebras-te por dentro e por fora e choras por tudo aquilo que podia ter sido e não foi.
       Até que um dia, alguém te ajuda a levantar e te guarda como o tesouro mais precioso do mundo. Nesse dia vais passar a viver mais pelo e através do outro que por ti e vais saber que todos os outros dias valeram a pena. Porque, na verdade, era tão mais fácil fechar os olhos e fingir que não se passa nada, mas tudo seria diferente, tu não serias tu e a vida não seria a vida.

M

(Fonte da imagem: http://flordomar.no.sapo.pt/joshua.rainey.jpg)

domingo, 7 de novembro de 2010

Perdida no lugar onde me encontro,
Achada onde não posso estar.
Guardo-me em ti,
O resto do mundo fica para depois.

M