domingo, 31 de julho de 2016

Livre

Sempre acreditei nesta ideia de que para se ser feliz é preciso, primeiro, ser-se livre. Ás vezes isso implica ir embora, outras vezes implica aprender a olhar e a ver as o que nos rodeia de forma diferente e mais atenta. E esperar. Esperar que não sejamos loucos por querer mais, por querer o que dizem que não existe.
Ser feliz, ser livre, deixar que alguém seja ainda mais livre através de nós e connosco. Tanto quanto nós pudermos ser livres com e através desse alguém. 
Há esta vontade em mim de ser livre, de descobrir um mundo diferente dentro deste mundo. Nos detalhes, nos momentos, nos lugares. Acho que é possível, só ainda não sei como lá chegar.
Não sei, mas vou continuar à procura.
 
M