domingo, 5 de julho de 2015

À Procura

À procura. Reina a dúvida sobre o que é, mas sei que estou nesse mesmo caminho, sei que não sei o que esperar, mas espero.

Eis a minha verdade: eu espero. Pelo que for, pelo tempo que for. Espero na esperança que algures no tempo faça sentido e, mais que tudo, espero na esperança que valha a pena.

Sei que sinto, provavelmente, mais do que devia. 
Penso, certamente, mais do que devia. 
Escrevo, claramente, mais do que sei.

E é isto que me passa pela cabeça no final de um fim-de-semana aleatório, sentada no sofá a divagar com os livros a "olharem" para mim.


M

Sem comentários:

Enviar um comentário