domingo, 6 de maio de 2012

Deixa-me olhar

Preciso de te ver e, não estranhes, preciso de ficar a olhar para ti. Deixa-me olhar. Deixa-me ver tudo o que tenho andado a perder em ti, porque não estou aí e não estás aqui. Deixa-me olhar para aquilo que os dias têm feito contigo, sei que há qualquer coisa em ti que já não conheço. E não é por mal ou porque não te preste atenção, é porque há coisas que não conseguimos evitar.  
Quero conhecer-te outra vez, reconhecer-te todos os dias. Quero lembrar-me que se num momento a mudança te afastar, foi aquele dia que te mudou e talvez consiga ter um porquê ou uma nova forma de te encontrar nos pedaços do que foste e daquilo que és. Esta é a minha tentativa de não te perder. Não tenho a certeza que seja a melhor, mas é a maneira que tenho de tentar. 
Deixa-me olhar.


M

Sem comentários:

Enviar um comentário