sexta-feira, 13 de maio de 2011

Com o tempo




  É fim do dia, e o sol cai silencioso no horizonte. Fecho os olhos, abro os olhos, tudo continua no mesmo lugar. Há coisas que não mudam... Os caminhos, os lugares, os olhares, os sentimentos, é estranho como se alteram, é estranho como as pessoas os vêem alterar e deixam as coisas acontecer. Depois correm, gritam, perguntam-se em que é que erraram se nada se alterou.. Não sabem que o maior erro foi esse, o não saber ver que nas entrelinhas havia coisas diferentes, que o tempo muda as coisas que se deixam ir e torna mais fortes as que lutam por permanecer.
     Conto os passos que dou na direcção que não quero seguir, os pensamentos vão parar onde não posso estar e por vezes o eco faz-me escrever, dizer, pensar coisas sem nexo que a pouco e pouco vou deixando ir.

M

Sem comentários:

Enviar um comentário